sábado, 3 de abril de 2010

Montando uma carteira individual

Falamos várias vezes neste blog sobre as múltiplas vantagens de investir atraves de um ETF como PIBB11 e BOVA11, sendo as principais a diversificação e custos reduzidos. Mas existem algumas poucas vantagens em montar uma carteira individual, a principal sendo que voce recebe os dividendos diretamente na sua conta da corretora. Em um ETF os dividendos são automaticamente reinvestidos na carteira de ações. Mas para um investidor individual com um portfolio diversificado em várias classes de ativos pode as vezes ser mais interessante reinvestir os dividendos em outra classe de ativos, como a renda fixa, ouro ou fundos imobiliários, dependendo de qual classe de ativos esta relativamente mais barata e se é necessário rebalancear o portfolio. Também para aqueles investidores que estão já aposentados ou semi-aposentados pode eventualmente ser interessante a retirada dos dividendos para fins pessoais, para pagar algumas de suas despesas mensais. Outra vantagem é que não existe uma taxa de administração como nos ETFs. Apesar de que no PIBB esta taxa é praticamente desprezível.

Obviamente este aspecto só se torna interessante e viável em carteiras grandes, senão os custos de montar uma carteira individual ficam proibitivos. O custo maior é para a montagem do portfolio. Se este custo for menor que 0,5% do valor do portfolio de ações pode ser uma estratégia opcional viável. A maior desvantagem é que dificilmente uma carteira de ações vai ser tão diversificada quanto um ETF. A diversificação menor provavelmente vai se traduzir em uma carteira com maior risco e possivelmente com menor retorno que o índice. É recomendável assim que se tenha pelo menos 20 ações diferentes, idealmente mais que 30 ações para que os riscos sejam menores. Se alguem for montar um portfolio com 20 ações, considerando uma corretagem de R$ 16,90, ele vai ter um custo inicial de 338 reais. Dai calculando 0,5% de custo teríamos uma carteira de ações de R$ 67.600,00. Ou seja a partir deste valor os custos de montar uma carteira com 20 ações não seriam proibitivos e a estratégia poderia ser considerada, tendo bem em mente o maior risco advindo. Após a montagem os custos diminuiriam e ficariam restritos a rebalanceamentos. Eventualmente pode-se conseguir um desconto da corretora, dependendo do volume de recursos, o que pode tornar mais barato a montagem da carteira.

Então para quem deseja montar uma carteira individual qual a melhor maneira?? Uma das formas mais simples e também mais eficientes é tentar replicar o indice. Ou seja, se voce vai montar uma carteira com 20 ações, veja quais as 20 maiores posições do indice e compre estas ações em  proporçoes similares ao indice.

- Vale 16,95%
- Petrobras: 14,73%
- Itau: 4,68%
- BVMF: 4,2%
- Usiminas: 3,78%
- Gerdau: 3,75%
- Bradesco: 3,55%
- CSN: 3,49%
- Itausa: 2,64%
- Fibria: 2,19%
- Banco do Brasil: 2,15%
- Brasil Foods: 2,15%
- Redecard: 2,08%
- Cyrela: 1,41%
- CEMIG: 1,4%
- MMX: 1,36%
- ALL: 1,35%
- Bradespar: 1,13%
- Gafisa: 1,13%
- Gerdau Matalurgica: 0,96%

Estas 20 ações correspondem a 75% do Ibovespa. Os restantes 25% destinados a ações poderiam ser comprados de um ETF ou distribuidos proporcionalmente entre estas ações. Uma carteira montada desta maneira teria um beta muito proximo do IBOV e provavelmente replicaria o IBOV com uma pequena margem de erro. O problema seria que com o tempo possivelmente ela tenderia a se afastar cada vez mais do IBOV. Para fazer a manutenção desta carteira bastaria acompanhar as mudanças do indice a cada 3 meses e se houvesse uma mudança nas 20 primeiras posições do IBOV se procederia a realocação. Sempre atentar para os custos. E mesmo sendo tão simples a sua montagem esta carteira tem uma alta probabilidade de bater as várias carteiras sugeridas pelas corretoras.

Obviamente é muito mais barato e simples usar um ETF, mas fica uma opção para quem tem já uma carteira grande, em que os custos de montar e manter um portfolio ficam diluídos, que tem mais tempo e conhecimento para gerenciar um portfolio e que eventualmente queiram receber seus dividendos na sua conta da corretora, como é o caso de algum investidor aposentado. Usando esta estratégia podemos montar uma carteira e continuar tendo um retorno próximo ao indice. Outra vantagem é poder usar suas posições em ações da petrobras e da Vale para lançar opções. Mas cuidado!! Lançamento de opções na maioria das vezes apenas diminui seu retorno total.

PS.: Esta estratégia é mais adequada para alguem que vai fazer um grande investimento de uma única vez. Mas para o pequeno investidor, que faz pequenas aplicações mensais, esta estratégia se torna muito mais dificil de implementar e talvez até inviável; e neste caso a aplicação em um ETF continua sendo muito mais vantajosa.

11 comentários:

  1. Ótimo artigo, Investimentos!


    De tanto que falamos sobre as vantagens de se investir em fundos, parece que não haveria motivos nem benefícios para investir em ações individuais. É sempre bom mostrarmos também o "outro lado" da moeda: a de que investir em ações individuais podem proporcionar, sim, também um patrimônio financeiro confortável no futuro.


    A propósito dos custos, para quem quer construir uma carteira de ações bem diversificada, uma alternativa a ser considerada é a de operar via Bradesco Corretora, cuja tarifa de corretagem, para valores entre R$ 50 e R$ 100 mil, é de 0,2% sobre o total operado, o que pode impactar positivamente os custos. Lembrando que há um mínimo de R$ 10 por dia - http://www.shopinvest.com.br/



    Parabéns Investimentos, pelo artigo. Tb pretendo falar um pouco sobre investir em ações individuais, até pra mostrar q tb pode valer a pena.



    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Bem lembrado Hotmar!!
    O Bradesco é uma boa opção de corretora barata. Tambem várias corretoras dão isenção para o primeiro mes de corretagem, dependendo do volume de recursos, o que pode deixar a montagem de uma carteira de graça.

    ResponderExcluir
  3. Exato, Investimentos!!


    Essas promoções de corretagem grátis por um mês são muito interessantes, faz o investidor economizar uma boa grana no caso de compras de diversas ações, como é o caso.


    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    ResponderExcluir
  4. oi I&F

    Boa estratégia essa das 20 ações. O Investbolsa/Spinelli é uma ótima opção pra essa estratégia:
    "A partir da 11º ordem do dia, a corretagem é gratuita. Promoção não acumulativa para o dia seguinte"

    Portanto, independente do tamanho da carteira, dá montar por R$ 169,00.

    ResponderExcluir
  5. Valeu pela dica Torto!! Existem hoje em dia várias corretoras relativamente baratas, em que da pra implementar uma estratégia semelhante com baixo custo.

    ResponderExcluir
  6. Ótimo post!

    A LinkTrade cobra menos de R$5 no fracionário. Seguindo seu raciocínio de 0,5% de custo máximo, uma carteira de R$ 20 mil já seria viável.

    Hotmar, eu fiz uma simulação no homebroker do Bradesco e eles parecem ter uma corretagem mínima de R$10.

    ResponderExcluir
  7. Exatamente, Major. Então, no Bradesco, pra valer a pena, as compras devem ser feitas num dia só, de preferência, para diluir o valor da corretagem.



    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    ResponderExcluir
  8. Estou pesquisando ainda pra ver se compensa assumir o custo e o risco maior de se montar uma carteira individual para se fugir dos 15% de IR das ETFs.

    No meu caso seria uma aplicação inicial por volta dos 70k mais aportes mensais de 1,5k num período aproximado de 20 anos. Será que compensa ? Pago R$4,40 no fracionário na link.

    Achei este interessante estudo que também fala do assunto:

    https://docs.google.com/viewer?url=http://www16.fgv.br/rae/artigos/1237.pdf&pli=1

    ResponderExcluir
  9. Major,

    Se vc conseguir fazer uma replicação adequada existe obviamente uma vantagem tributária. O dificil é conseguir uma boa replicação. Ao passo que sua carteira diverge do indice ela vai tender a se afastar do retorno do indice, para mais ou para menos. Acredito que quanto maior a diversificação maior a tendencia da carteira de ter um retorno próximo do indice.
    Mas acho que uma resposta definitiva não existe.

    ResponderExcluir
  10. Eu gostaria de saber, numericamente se possivel, o impacto no valor da cota de um PIBB11 ou qualquer outro ETF, quando ha pagamento de dividendos por alguma empresa que esteja dentro do fundo?

    Exemplo: se no fundo tem CMIG3 e ela paga 6% de dividendo, teoricamente eu ganharia 6% se tivesse a ação, mas como ela esta no fundo, quanto o PIBB11 aumentaria de valor por causa desses 6%?

    Supondo, por exemplo, que o peso do papel no fundo seja de 7%.

    Esses dividendos seriam reinvestidos na CMIG3 ou poderia ser em qualquer outro papel e como ficaria o novo peso dos papeis do fundo?


    Agora em relação a outra duvida. Um ETF de setor eletrico ou de dividendos, teria uma valorização muito alta pelo efeito dos dividendos reinvestidos, mesmo sem ter valorizado nada no ano?

    No caso de uma carteira de dividendos, a evolução do patrimonio liquido da carteira cresceria consideravelmente mesmo sem haver valorização dos preços, por isso gostaria de saber se o mesmo ocorre num ETF de dividendos.

    ResponderExcluir
  11. Pega o valor do dividendo e multiplica pela percentagem de peso do papel no indice - no seu exemplo, dividendo de 6%; papel 7% do indice - o Dividendo correponde a 0,42% do indice. Acredito que o Dividendo é reinvestido na mesma empresa e o peso da empresa no indice é recalculado de acordo. Obviamente como a empresa geralmente desvaloriza logo após ficar ex-dividendos tem que levar isto em consideração. Geralmente ocorre o seguinte - a ação fica ex-dividendo, desvaloriza o percentual dos dividendos e só após algum tempo os dividendos são recebidos; então o retorno total vai depender se a empresa recupera o valor inicial. Eventualmente pode acontecer de ficar no zero a zero, ou se a ação cair muito vc ficar no negativo no total.

    Em um ETF só com dividendos a valorização vai depender do mesmo jeito do conjunto Dividendos + valorização da ação.

    ResponderExcluir