sábado, 15 de agosto de 2009

Montando uma estratégia Sólida

Neste post vamos fazer uma breve revisão de vários dos conceitos que foram abordados anteriormente, e alguns conceitos novos, com o objetivo de montar uma estratégia sólida de investimentos visando o longo prazo. Com longo prazo aqui me refiro a períodos de pelo menos 10 anos. Como já comentamos o horizonte de investimentos de longo prazo basicamente é o restante da vida da pessoa. Assim se voce tem 30 anos, o seu horizonte de investimentos de longo prazo será algo proximo de 60 anos.

Bases de uma estrategia sólida de investimentos:

- Análise Macroeconômica
- Definir a sua tolerancia ao risco
- Ter um reserva de emergencia em renda fixa que corresponda a no minimo 6 meses de suas despesas mensais, a fim de que uma emergência ou a perda do emprego não o force a vender ações com prejuizo.
- Montar um portfolio de investimentos diversificado em várias classes de ativos: Renda Fixa, Ações, imoveis e câmbio
- Investir em ações apenas a parte dos seus investimentos que tem horizonte de tempo maior que 5-8 anos (duração da maioria dos bear markets, dados do mercado americano)
- Diversificação ampla nas ações - como vimos uma das formas é usar os ETFs (PIBB11 ou BOVA11)
- Reinvestimento dos dividendos e de todos os rendimentos
- Procurar fazer investimentos regularmente, se possivel todos os meses, a fim de fazer um preço médio
- Realocação dos ativos
- Analise de indicadores fundamentalistas das ações, a fim de ter uma ideia aproximada do preço que estamos pagando, se estamos comprando ações baratas ou caras. Lembrar que o retorno do investimento em ações está diretamente ligada ao preço pelo qual pagamos. Assim o ideal é investir mais em ações quando o mercado está barato e menos se o mercado estiver caro.
- Minimizar custos

Existem algumas outras estratégias que podemos usar para melhorar o retorno no longo prazo, como o aluguel de ações, além do uso de derivativos. Contudo os derivativos podem aumentar muito o risco do portfolio e trazer grandes prejuizos e só devem ser usados por investidores com maior experiencia e maior tolerancia ao risco. A grande maioria não precisa fazer uso de derivativos.

4 comentários:

  1. Ótimo texto, corroborando as idéias de John Bogle, talvez com exceção da "Análise Macroeconômica" rsrs.

    Vejo que pensamos praticamente igual, Inv. e Fin.!

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito do John Bogle e da estrategia de indexação; mas acho que é tambem muito importante juntar a analise macroeconomica e o valuation do mercado para digamos, saber onde voce esta pisando e evitar uma bolha nos mercados, ou pelo menos readequar o seu portfolio de acordo. Pretendo no futuro abordar este assunto.

    ResponderExcluir
  3. Ótimo! Você poderia falar também sobre a relação entre mercados eficientes e bolhas. São mutuamente excludentes?

    Abcs!

    ResponderExcluir
  4. Não são mutuamente excludentes. As pessoas confundem e acham que se o mercado é eficiente ele tem que acertar sempre. Mercado eficiente só quer dizer que as informações atuais e as expectativas são precificadas corretamente; mas não tem nada a ver com se o mercado vai acertar ou não as previsões. Pois ninguem sabe o futuro. Além disto não da pra generalizar e falar que o mercado é eficiente ou não é eficiente. Existem graus variados de eficiencia, dependendo do tipo de ativo, se blue chip ou small cap. Agora o que podemos afirmar é que com a disseminação da informação financeira os mercados tendem a ser cada vez mais eficientes.

    ResponderExcluir